EDIÇÃO 2012 – 6, 7 e 8 de novembro (Porto Alegre)

O Festival El Mapa de Todos ocorreu durante três dias, em Porto Alegre, com participação de 15 artistas locais, nacionais e latinos, de sete diferentes países. Os shows, em número de cinco por noite, foram realizados na casa de shows Opinião, e os debates na Casa de Cultura Mário Quintana. ”O que Porto Alegre viu em três dias de El Mapa de Todos (acima de politicagem barata e blá blá blá) foi a vitória da música de todos os povos. É preciso bater palmas: o El Mapa de Todos merece”, definiu o jornalista Marcelo Costa, do site Scream & Yell.

O festival El Mapa de Todos contou pela segunda vez com o patrocínio da Petrobras, com apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, de Incentivo Federal. O evento também teve apoio especial da Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul – SEDAC, e da central sindical Força Sindical. O Instituto Estadual de Música, o Insituto Girassol, o movimento Cidade Baixa em Alta, o Instituto Cervantes, o Centro Cultural Peruano, o Senalba e outras instituições e entidades também apoiaram a iniciativa.

Em três dias de shows, foram realizadas 15 apresentações, segundo o cronograma abaixo, iniciando pontualmente às 21 horas. Os palcos de cada um dos dias foram batizados com os nomes de “Cidade Baixa em Alta”, “Paebiru: O Caminho da Montanha do Sol” e “Mundo Diablo”, em homenagem à banda Nenhum de Nós, precursora da integração no extremo Sul do Brasil. Ao longo dos três dias de shows, 2.500 pessoas compareceram ao Opinião, de diferentes idades, origem social, países e localidades do Mercosul, do Brasil, da Região Sul e do Rio Grande do Sul.

O Festival El Mapa de Todos consolidou-se junto ao público local que lotou o Opinião nas três noites, aplaudiu e cantou indistintamente seus ídolos locais e os convidados latinos. Apoiado em conceito claro, conteúdo editorial e qualidade técnica, o Festival El Mapa de Todos afirmou-se junto à comunidade dos países ibero-americanos como o principal evento do Brasil no gênero. Ao mesmo tempo, a ampla e generosa cobertura da mídia local – rádio, jornal e televisão – confirmou o festival no “calendário cultural” do estado.

“Em sua terceira edição, o El Mapa de Todos chega ao ápice com uma programação inteligente e respeito de um bom público, que o transforma em um exemplo de qualidade e perseverança. Não é uma conquista a toa. Por trás do festival, a figura exemplar de Fernando Rosa (o Senhor F) prova por a (bons nomes escolhidos a dedo da vasta cena ibero americana) mais b (uma produção cuidadosa que valoriza a música) que não basta prometer festivais e revoluções; é preciso, sim, estar atento ao conteúdo, respeitar o público e respeitar o artista”, destacou o jornalista Marcelo Costa, do portal Scream & Yell, de São Paulo.

- Veja os vídeos das apresentações

- Veja as fotos do festival

Veja o que falaram do festival

- Scream & Yell
- POASHOW
- Nonada
- Rolling Stone Brasil

EDIÇÃO 2011 – 26, 27 e 28 de abril (Porto Alegre)

“O que mais importa são as pessoas”, disse em um bom português Xoel López, músico da Galícia, Espanha, ao despedir-se do El Mapa de Todos, traduzindo o clima de integração musical, cultural e afetivo que marcou os três dias do festival, realizado nos dias 12, 13 e 14 na capital gaúcha. Shows emocionantes e debates acalorados marcaram o festival que transformou Porto Alegre na “Capital da Integração” pela música. “O evento mexeu com Porto Alegre! Abriu portas no Brasil para a música contemporânea latina”, definiu Militão de Maya Ricardo, jornalista, professor, produtor, músico e Mestre em Comunicação do IPA – Centro Universitário Metodista, de Porto Alegre. “O festival El Mapa de Todos foi ducaralho! Organização, bandas legais e debates relevantes!”, disse Marcelo Birck, músico, professor de música e produtor cultural.

“O festival foi sensacional. Conceito e qualidade!”, sintetizou Talles Lopes, presidente da ABRAFIN (Associação Brasileira de Festivais Independentes), que participou do seminário “Integração pela Música”. “O melhor e o mais qualificado debate sobre o futuro da música nos tempos da internet que participei”, disse o ativista de mídias livres Marcelo Branco, em post no twitter. “O festival El Mapa de Todos está ajudando a fazer a história da música latino americana”, disse Alexandre Lopes, diretor do Opinião, uma das mais importante casas de espetáculos da América do Sul, que foi sede do festival. “Parabéns pelo grande e maravilhoso evento e muito obrigado a produtora Senhor F por trazer o El Mapa de Todos para nós”, disse Clàudio Janta, presidente da Força Sindical – RS. “Parabéns à Petrobras por patrocinar o El Mapa de Todos”, também disse Leandro Bortholacci, da produtora Olelê Music, de Porto Alegre.

A bateria de shows começou com a banda Reino Elétron, de Passo Fundo, interior do Rio Grande do Sul, ganhadora do festival PampaStock, organizado por professores e alunos da UNIPAMPA, que acontece em São Borja, na fronteira com a Argentina. Até a última apresentação, com os cuiabanos Macaco Bong, o palco do Opinião viu passar uma seleção de bandas que surpreendiam o público a cada momento pela qualidade autoral e instrumental. Gepe, Xoel López + Pablo Dacal & Franny Glass, Contra las Cuerdas, Los Mentas e El Mato a Un Polícia Motorizado mostraram um pouco da melhor produção da música latina atualmente. Já os brasileiros Arthur de Faria e Seu Conjunto, Frank Jorge, Sociedade Bico de Luz, Do Amor, Wander Wildner, Watson e Superguidis, além dos já citados, corresponderam com a mesma intensidade. Os DJs Don Presi (Baile Tropical), Marcus Losanoff (programa Cambio, da Rádio Microfonia) e Fábio Godoh (programa Circo Beat, da Rádio Ipanema) animaram a festa entre as apresentações.

Além dos shows, o festival El Mapa de Todos contou com a realização do seminário “Integração pela Música”, que reuniu as principais lideranças culturais locais, entre elas o Secretário Adjunto de Cultura, Jéferson Assumção, a Diretora da Regional Sul do Minc, Margarete Moraes, o presidente da Força Sindical, Clàudio Janta, o ativista de mídias livres, Marcelo Branco, e o músico Teddy Correa, do grupo Nenhum de Nós, entre dezenas de outros. Realizados na Casa de Cultura Mário Quintana, os debates movimentaram a vida cultural da cidade, devolvendo ao importante espaço seu papel de centro da construção e difusão do pensamento gaúcho. De maneira intensa, palestrantes, debatedores e público produziram um dos mais ricos momentos de debate sobre a nova realidade da integração e da música. No dia 13, houve o lançamento do Festival Internacional de Música Livre, com participação de diversas autoridades, como o Chefe de Gabinente do governador Tarso Genro, Vinicius Wu, o Secretário Adjunto de Cultura, Jéferson Assumção, e a primeira-dama Sandra Genro. O seminário, assim como o festival, contou com o patrocínio da Petrobras e apoio da Força Sindical, Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul e Instituto Cervantes.

Com a casa lotada, em seu terceiro dia o festival El Mapa de Todos venceu “a batalha de Porto Alegre”, afirmando a capital dos gaúchos como um espaço estratégico para a integração do continente sulamericano e com os países ibéricos. “O festival foi acolhido com carinho pela mídia local, articulou amplamente os segmentos culturais ativos e sintonizados com os novos tempos e emocionou o público com shows fantásticos”, definiu Fernando Rosa, curador do festival, ao lado dos parceiros argentinos Sylvie Piccolotto e Pablo Hierro. "Parabéns pelo excelente festival! Que venham os próximos!", comentou o jornalista Roger Lerina, de Zero Hora, o principal jornal do estado, que tratou o evento com destaque editorial. Na primeira noite, a tag #ElMapa2011 ponteou o Trending Topics do Twitter de Porto Alegre, enquando no terceiro dia as tags #superguidis e #macacobong ocuparam o segundo e o terceiro lugar no mesmo ranking. “Ao final”, completa o curador, “com o reconhecimento unânime de jornalistas, produtores, autoridades culturais e público, o festival definiu um campo de qualidade, criatividade e posicionamento estratégico que projeta o El Mapa de Todos para o futuro”.

“Mais do que isso – conclui Fernando Rosa – “o festival não se limitou ao padrão clássico “presencial”, mas gerou conteúdo digital que exponencializa o público presente no evento milhares de vezes. O festival foi inteiramente transmitido ao vivo pela radioweb Putzgrila, de Porto Alegre, com audiência em vários lugares do mundo, especialmente na América Latina. Os shows foram gravados pelo Estúdio Dreher (Gustavo e Thomas Dreher), com destaque para uma música de cada artista, que foi mixada na mesma noite e postada no hotsite da Petrobras/El Mapa de Todos no dia seguinte. As incríveis fotos de Fernando Schlaepfer e Rodrigo Esper, da I Hate Flash, registradas e postadas no telão do Opinião praticamente tempo real integraram público, artistas e ambiente no local, e continuam sendo vistas nos pós-festival. O último dia de show também ganhou um registro exclusivo da TVE-RS, para gerar um programa especial.

- Baixe disco contendo uma faixa de cada apresentação

- O documentário oficial, em três partes, produzido por Liege Milk & Theo Portalet







Extra do documentário oficial

EDIÇÃO 2008 - 27, 28 e 29 de novembro (Brasília)

 
agência     revista     edição antiga
El Mapa de Todos 2012: vitória da música de todos os povos
Em três dias, ritmos, gêneros, gerações, diferentes países e um público vibrante transformaram a casa de shows Opinião e a Cidade Baixa, em Porto Alegre, um território livre da integração iberoamericana.
  FERNANDO ROSA
  Slade Alive!, o punk antecipado ao vivo
  FERNANDO ROSA
  Chico, Duprat e Construção
  MELHORES DE 2012
  Nossa lista de discos, coletâneas & extras e músicas
  MELHORES DE 2011
  A lista dos melhores discos iberoamericanos para Senhor F (& anglo-saxões)
  EL MAPA DE TODOS
  Top 25 Ibero-americanos 00/2009: mundo mais criativo, colorido e feliz
  ESPECIAL
  10 discos clássicos da psicodelia latina dos anos 60
   
 
  FERNANDO ROSA
  El Mapa de Todos: diversidade, com conceito e resposta do público
  FERNANDO ROSA
  Lennon vive: 'realize seus sonhos'
  FERNANDO ROSA
  A incrível história da música 'Llorando Se Fue'
   
 
  VARIOS
  Nuevos Medios, 30 anos de vanguarda, qualidade e senso pop
  VÁRIOS
  “Somos assim”, 25 discos independente brasileiros dos anos 00
  EL MATO A UN POLICIA MOTORIZADO
  La Dinastia Scorpio, definitivamente entre os grandes
  JUAN CIREROL
  Haciendo Leña, o renascimento do folclore mexicano
  COMPAY QUINTO
  El Diablo, a música tropical peruano-caribenha
  CUARTETO CONTINETAL
  El Auténtico e Imbatible, clássicos da cumbia pegadita
  CUMBIAS CHICHADÉLICAS
  Peruvian Psychedelic Chicha: lendários guitarristas peruanos
  CUMBIA BEAT
  Tropical Sounds of Peru (volume 2) / 1966 - 1983
  ALFOMBRA ROJA
  Bela estréia com 'Pueblo Chico Infierno Grande'
  DAVILA 666
  'Tan Bajo', teenage-pop con basura
  O CURINGA
  O Curinga, o melhor do rock gaúcho 'perto' da capital
  BARETO
  Ves lo quieres ver: música para conquistar o continente
   
 
  BLUES PROJECT
  Clássico do 'blues branco' ao vivo
  THE BATS
  'Daddy's Highway', poesia em forma de música pop
  SQUIRREL BAIT
  Squirrel Bait, os mais preciosos '20 minutos' dos anos 80
  NICOLAI DUNGER
  Tranquil Isolation, conexão sueca-americana
  LOS PLANETAS
  Principios Básicos de Astronomia, o melhor do indie espanhol
  THE TROGGS
  Groin Thunder!, clássico tributo aos Troggs
  LOS FUCKIN SOMBREROS
  Bazuka!, canções, guitarras e senso pop
  J. GEILS BAND
  Full House, um dos melhores discos ao vivo da história
  LOS DESTELLOS
  Los Destellos, pioneiro da cúmbia psicodélica peruana
  LA BARRANCA
  'El Fuego de la noche', legenda do rock mexicano
  FLIPPER
  Generic Flipper, na origem do grunge
  COMETS ON FIRE
  Blue Cathedral, uma tormenta no deserto roqueiro dos anos 00
  LOS ESTOMAGOS
  'Tango Que Me Hiciste Mal', marco do rock uruguaio pós-ditadura
  BUENOS MUCHACHOS
  Amanecer Búho, o melhor rock moderno do Uruguai
  LYRES
  'On Fire', explosão garageira no início dos 80, relançado na Espanha
   
 
 

INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA
Saiba mais sobre o Festival El Mapa de Todos e os artistas latinos que participaram na edição 2012

O festival ocorreu nos dias 6,7 e 8, em Porto Alegre, na casa de shows Opinião, com patrocínio da Petrobras, via Lei Rouanet, do Ministério da Cultura do Brasil, e apoio especial da Secretaria de Cultura do Estado do RS e da central sindical Força Sindical - RS.

> Ouça entrevista com o jornalista argentino Claudio Kleiman sobre o festival, feita por Joseba Martin, do programa La Jungla Sonora, da Rádio Euskadi, do País Basco, Espanha.

A gaúcha The Tape Disaster lança seu segundo trabalho, o single "A Voz do Fogo". São dois temas instrumentais, com a qualidade de uma das melhores bandas instrumentais do país.
"Uma das mais gratas surpresas de 2010", escreveu Fábio Massari apresentando o disco em sua coluna na internet. O disco de estréia dos brasilienses é a nova aposta de Senhor F Discos.
Em dezembro a Noite Senhor F completou 2 anos em POA, com produção de Brisa Daitx. Em março, retorna para o Opinião, apostando na cena independente. Em breve, o lineup da 1ª Noite.
Desde janeiro de 2008, veiculado pela Rádio Câmara, da Câmara dos Deputados, o programa Senhor F Sem Fronteira difunde a música iberoamericana de todas as gerações e países.
O Programa Senhor F não está sendo mais veiculado pela Rádio Ipanema, de Porto Alegre. Segundo a produção, deverá retornar em breve, em outra emissora, ainda sem definição.
Veja como foram as edições anteriores do Festival El Mapa de Todos. Também aguarde aqui informações sobre a nova edição, já confirmada. Novamente em Porto Alegre, no final do ano.